A Floresta Natural e a Floresta Económica

01-02-2018

É o título de uma brochura editada em Luanda em 1968 pelos Estudos Gerais Universitários de Angola, resultante de uma lição num concurso para provimento de um lugar de Professor Catedrático de Silvicultura Geral e Dendrologia [ciência das árvores], cujo autor, M. Gomes Guerreiro, viria a ser Secretário de Estado do Ambiente do I Governo constitucional após o 25 de abril, e pioneiro da educação ambiental. Esta brochura introduz-nos a um problema sempre atual - o das relações entre floresta natural e floresta económica. Aliás, Manuel Gomes Guerreiro tinha já escrito e viria a escrever posteriormente outros textos notáveis sobre o tema, com incidência mais direta sobre o território português. Embora esta lição dê bastante relevo à situação nos trópicos, a abordagem assenta na ecologia como ciência de síntese, e por isso pode ser útil para entender melhor a atual situação portuguesa. Quanto ao futuro, definir os contornos do que poderá ser uma «floresta renaturalizada», em relação às plantações arbóreas de finalidade económica predominante e por isso forçosamente «artificiais», é algo que merece permanente atenção e debate. 

Manuel Gomes Guerreiro
Manuel Gomes Guerreiro