O Prof. Jorge Paiva mostra o sobreiro como parte da solução

31-10-2017

A aldeia de Ferraria de São João, já tinha mostrado espontaneamente o caminho. Entretanto, organizado pelo Núcleo de Estudantes de Biologia da Associação Académica de Coimbra, numa conferência do Professor Jorge Paiva (23 de outubro de 2017), foi defendido o plantio do sobreiro no Centro e Norte de Portugal como alternativa ao eucalipto e ao pinheiro-bravo (https://www.facebook.com/neb.aac.ucvideos/1525055770922811).

A maior biodiversidade associada, o valor económico e a resistência a incêndios e às secas mais severas das alterações climáticas apontam o sobreiro como árvore de eleição, ou não tivesse ele sido escolhido como «árvore nacional de Portugal». Ao contrário de uma ideia vulgarizada de que o sobreiro só se dá no Alentejo (onde aliás atravessa uma fase de dificuldades já apontadas repetidamente por agrónomos de prestígio), o Norte e Centro do país têm excelentes condições para esta espécie.